Salybetsy Chipenhe Supervisão do Crédito à Habitação em Angola após a Crise de 2000

A DEA Analysis


Project Report, 2015
36 Pages

Excerpt

Índice

Designaçao

Siglas

Tabelas

Resumo

Abstract

Seçao 1 - Introduçao
1.1 O que é supervisäo?
1.2 O que é eficiência?
1.3 O sistema bancàrio: supervisäo e eficiência de um central a outros bancos
1.4 Tipos de supervisäo do BNA e a sua eficiência diante do ambiente apresentado
1.5 Ineficiência causada pela gestäo e gestäo operacional
1.6 A crise do subprime de 2008
1.7 DEA

Seçäo 2 - Revisäo de literatura
2.1 O que é uma crise financeira?
2.2 O risco sistêmico e a crise financeira
2.3 Países afetados pela crise do subprime 2008
2.4 Sol^äo para uma melhor eficiência: DEA analysis
2.5 Eficiência da supervisäo do BNA atualmente, pós crise 2008 Seçäo 3 - Contributo de estudo

Contributo de estudo
3.1 Breve historial do sistema bancàrio angolano
3.2 Contributo do estudo para o sistema bancàrio angolano
3.3 Analysis na performance dos nove bancos
3.4 Resultados empíricos
3.4.1 Eficiência
3.4.2 Slacks
3.4.3 Weights
3.4.4 Improvements
3.4.5 References
3.4.6 Lambdas
3.4.7 Cross efficiency

Sigla

Abbildung in dieser Leseprobe nicht enthalten

Índice de Tabelas

Abbildung in dieser Leseprobe nicht enthalten

Resumo

O trabalho de projeto que se segue é um estudo de caso de supervisäo do banco central angolano, também conhecido como Banco Nacional de Angola - BNA, às instituiçôes financeiras angolanas, mais propriamente a nove bancos angolanos. Faz-se uma análise ao tipo de supervisäo do BNA, e na sua eficiencia em adiçâo a fatores administrativos como o ambiente do meio operacional que também trás efeitos positivos e negativos a performance destes bancos.

O objetivo deste trabalho de projeto é apresentar as liçôes que o sistema bancàrio angolano pode tirar da crise do subprime em 2008,e a de providenciar uma medida de eficiência dos nove bancos angolanos analisados, e da eficiência de supervisão do BNA, e de providenciar informação sobre as áreas de melhoria dos bancos eficientes, bem como dos não eficientes, a fim dos mesmos aumentarem a sua sustentabilidade de lucro, o que resultara no crescimento da economia angolana.

Para chegar as conclusses destas mesmas análises foram estudados artigos e relatórios baseados nas causas, consequências e melhorias de supervisäo apôs uma crise financeira de 2008, bem como em estudos de eficiência realizados em outros bancos centrais de países na Europa, Asia e Africa, todos estes realizados pelo método Data Envelopment Analysis - DEA. Os resultados da metodologia DEA, às nove instituiçôes bancárias angolanas demonstram o nivel de sua eficiência. Pontuaçôes comparativas de 0 a 100% indicam o estado de cada um dos bancos e sua performance em relaçâo aos outros bancos, bem como o seu benchmarking no mercado bancário angolano. Estas pontuaçôes säo utilizadas para identificar os principais pontos de melhoria e eficiência de cada um dos bancos, demonstrando os eficientes e näo eficientes. Dando assim em geral,a eficiência da supervisäo do BNA, no sistema bancário angolano de 2009 a 2010.

Abstract

The following work project is a case study in relation to the Angolan central bank supervision on Angola's financial institutions more precisely to nine Angolan banks. There is an analysis on its types of supervision, and on its efficiency in addition to administrative factors as the operational environment, which also brings negative and positive effects on the banks' performance.

The objective is to present the lessons the Angolan banking sector can take from the subprime crises, in 2008 and to provide a level of efficiency on the Angolan banks, the BNA's efficiency on its supervision, and to provide information on the improved areas concerning efficient banks, as well as from non efficient, in order to maximize their profits, resulting on the Angolan economy's growth.

To get to the conclusions of such analysis, were analyzed articles and reports on the causes, consequences and improvements on supervision after the financial crisis of 2008, as well as in studies made on other central banks' efficiency in Europe, Asia and Africa, all by the Data Envelopment Analysis - DEA. The results of the nine Angolan banking institutions demonstrate its level of relative efficiency. Comparative scores from zero to hundred percent indicate the situation of each bank and its performance in relation to other banks, as well as its benchmarking on the Angolan banking market. Those scores are utilized to identify the main scores of improvement and efficiency of each bank, demonstrating which ones are efficient and which ones are not efficient; giving in general a conclusive opinion on the BNA's efficiency on supervising the Angolan banking sector from 2009 to 2010, after the 2008 crisis of the subprime.

Keywords: performance, DEA, input, output, eficiencia.

Seçâo 1 - Introduçâo

Em 2009, o BNA viu-se forçado a implementar uma nova política monetària, a de reduçao da taxa de juro do kwanza[1], no seu sistema financeiro em ordem a ajustar-se a crise financeira de 2008[2]. Para certificar-se que tal medida fosse bem sucedida a sua supervisäo teve de ser mais rigorosa e prudente.

1.1 O que é supervisäo?

O conceito supervisäo, segundo Pina (2005) é por vezes utilizado em sinonimia com o de regulamentaçâo da atividade das instituiçôes, bem como da sua estrutura e organizaçâo. Enquanto a regulamentaçâo tem um enquadramento normativo, a supervisäo assenta essencialmente nos poderes atribuidos às autoridades competentes com vista à verificaçâo do cumprimento tanto das normas prudenciais e de conduta - máxime proteçâo dos consumidores - que vinculam aquelas, como da observância de padrees (standards) e boas práticas aplicáveis. A supervisäo prudencial, serve, segundo Hardy e Nieto (2008) para manter o sistema financeiro mais estável. Porém implica custos, como garantías antecipadas de depósitos (ou um outro fator de garantía para os passivos do banco), ou o aumento da probabilidade de uma crise bancária criada pelo risco moral mas, se ocorrer uma crise bancària os custos säo reduzidos pelas garantias disponibilizadas.

1.2 O que é eficiência?

Segundo Pareto (1906), uma eficiencia económica acontece quando se obtém o equilíbrio geral, ou parcial quando existe em um determinado ponto: pois, em uma conotaçäo simples, e ao se utilizar um exemplo razoável, verifica-se que ao se melhorar a situaçäo de um determinado individuo, necessariamente, corresponder-se-á uma piora na situaçäo de um outro individuo. Caso contrario, está-se numa situaçäo de ineficiência. Bhagavath (2006) identifica diferentes conceitos de eficiencia, de maneira a elaborar o modelo DEA: a eficiência técnica, definida como a conversäo fisica de inputs como por exemplo serviços de trabalhadores e máquinas, em outputs em relaçao a uma melhor pràtica. Eficiência alocativa, referencia se os inputs, para um dado output e conjunto de preços de input, sao escolhidos para minimizar o custo de produçao, assumindo que a DMU - Decision Making Units, ou empresa, a ser examinada já se encontra tecnicamente eficiente. Eficiência de custos, refere-se a combinaçao das eficiencias técnica e alocativa. Uma DMU será eficiente em seu custo se ela for técnica e alocativamente eficiente. Dentre as très eficiências, uma DMU será eficiente somente se tiver uma pontuaçao de 100%.

1.3 O Sistema bancàrio: supervisäo e eficiência de um banco central a outros bancos

O regime de supervisäo financeira varia significativamente de pais para pais, Masciandaro[3](2004) afirma que na Europa a concentraçao de poderes de supervisäo tem sido muito forte nos últimos tempos,para Kucerova[4](2010) desde a crise do subprime que ambos o Federal Reserve Bank - Fed, e o Europe Central bank - ECB, bem como os bancos centrais das naçôes Europeias näo têm tido sucesso em relaçao a supervisäo e regulamentaçao macro - prudencial[5], como o Fed estas falharam na prevençao da crise financeira e consequentemente também falharam em evità-la. Quanto a África e Ásia em geral, segundo Pill e Pradhan (1997)[6]a experiência asiática tem muitas liçôes importantes para a África, apesar desta estar a ser sustentada por sectores financeiros reformados, entretanto o fato deem muitos países em desenvolvimento o sector bancário dominar o sistema financeiro faz com que os mercados de valores mobiliários nao estejam muito bem desenvolvidos. Restriçôes impostas pelo governo quase sempre resultam em taxas de juro reais negativas e em um excesso na demanda de créditos, exigindo aos bancos uma racionalizaçâo em seus empréstimos. Dali que a eficiência dos mesmos seja vista como um desafio e análises solemente baseadas em relatórios financeiros nao definam necessariamente a performance dos bancos uma vez que outros inputs e outputs para além dos rácios financeiros, nao sao considerados. O que aumenta de certa forma a fragilidade dos bancos e seus riscos a medida que tais variáveis nao sao observadas.

1.4 Tipos de supervisäo do BNA e a sua eficiência diante do meio ambiente apresentado

A supervisao prudencial do BNA é baseada ao Basel Committee on Banking Supervision[7], com supervisäo direta (on site) e a supervisäo indireta (off site)[8]. Segundo o relatório de síntese do sistema financeiro angolano[9], o crédito do BNA, concebido a particulares liderou a carteira de crédito por setor económico com cerca de 19,59%, comércio a grosso e retalho 18,59%, outras atividades de serviços coletivos 14,73%; imobiliária, alugueres e serviços prestados as empresas 13,99%, indústrias transformadoras 8,54%,construçao 8,46%. O crédito vencido situou-se em Kz 134,22 mil milhöes, menos 7% (Kz 10,14 mil milhöes) em relaçao a Março de 2011, peso do crédito vencido no crédito total diminuiu de 8,48%(Março 2011) para 7,38% (Junho 2011), esta reduçao poderá ser associada a recuperaçao do crédito mal parado, bem como melhoria de classificaçao e registo das informaçôes contabilísticas por parte dos bancos.

Podemos observar que o BNA basea-se solenemente em rácios financeiros para avaliar a performance dos bancos. Estes balanços financeiros relatam a eficiência do banco tanto mensal ou anualmente sugerindo que quanto mais elevados forem estes dados por exemplo, ROA ou ROI (Rate of Return on Assets ou Rate of Return on Investments) e ROE (Rate on Equity)[10], melhor será a performance do banco, e sendo o inverso também aplicável.

1.5 Ineficiência causada pela gestäo e gestâo operacional

Entretanto, para O'Donnell e Westhuizen (2002)[11], existem dois grandes problemas no uso destas medidas. Primeiro é que elas só têm significado quando comparadas a um concorrente e segundo cada medida da performance é parcial no sentido de que é calculada utilizando-se apenas dados disponíveis de um subconjunto do banco. O problema com as medidas parciais é que o banco pode estar a ter uma boa performance utilizando uma das medidas por exemplo,créditos, mas muito mal utilizando a outra medida por exemplo,custo total por trabalhador. O que se necessita é de uma medida simples da performance total, onde todos os inputs e outputs sejam calculados com todos os dados da instituiçâo.

1.6 A Crise do Subprime 2008

Uma das causas da crise dos empréstimos do subprime segundo Tian (2009),[12] para além da extrema aceitaçao no mercado de crédito, grandes limitaçôes nos mecanismos de prevençao de riscos existentes nas instituiçôes financeiras e da política de dinheiro fácil; foram as classificaçôes imprudentes feitas por agencias de classificaçao. De acordo com as estatísticas 75% das CDO - Collateralized Debt Obligations obtiveram uma classificaçao de AAA das agencias de classificaçao do governo dos EUA - Estados Unidos da América, e somente 7% das CDO foram classificadas como BBB ou classe baixa. Durante a crise muitas destas CDO classificadas como AAA caíram para BBB e os dados outrora apresentados para a hipótese de uma classificaçao elevada, também apresentavam falhas graves que nao podiam cobrir toda a informaçao incompleta ou falsa num ciclo de crédito ou em curto prazo. Em consequência, muitos investidores da área de empréstimos,basearam seusganhos na alta classificaçao destas empresas, e posteriormente uma vez que as mesmas nao estavam a ser classificadas corretamente, estes viram uma perda em seus investimentos tornando-se cada vez pior, originando a crise. Para melhorar tal cenário no caso dos EUA, o departamento de tesouro assumili a responsabilidade da Freddie Mac e Fannie Mae[13], e injetou capitais em forma de oferta por preferencias de stock para ambos. O American Federal Reserve Committee ofereceu empréstimos de urgência ao American International Group, Ins. - AIG. E o governo dos EUA começou a cobrar os grandes ativos financeiros.

1.7 DEA

DEA - Data Envelopment Analysis, se define como um método nao paramétrico de programaçao linear utilizado para medir a efici|encia da relaçao entre as variáveis de input e de output, de uma empresa ou outro tipo de organizaçao designada por DMU - Decision Making Units. Ozkan-Gunay e Tektas (2006), definem as duas especificaçôes do DEA inputs e outputs, para serem usadas na análise da sensibilidade de escolha das variáveis de output,bem como os diferentes comportamentos individuais de cada DMU aquando da tomada de risco, os autores também sugerem que método DEA uma vez aplicado, propöe alternativas na utilizaçao e recursos para que as DMUs ineficientes melhorem a sua eficiência. Neste trabalho de projeto utilizamos o DEA CRS-Data Envelopment Analysis with Constant Returns to Scale orientado pelos inputs, em nove instituiçôes bancárias angolanas que sao Banco Africano de Investimento - BAI, Banco Internacionaln do Comércio - BIC, Banco Caixa Totta, Banco Espirito Santo Angola - BESA, Banco de Desenvolvimento de Angola - BDA, Finibanco Angola - FNB, Banco de Fomento de Angola - BFA, Banco Millenium de Angola - BMA e Banco de Negocio Internacional -BNI; estes bancos foram utilizados por terem seus dados disponibilizados na sua página oficial.

Por meio do método DEA, faremos uma avaliaçâo da eficiencia da supervisäo e performance do BNA na execuçâo da sua política monetària durante a crise de 2008, e dos seus efeitos sobre o sistema bancàrio angolano e na economia do país, nos anos de 2009 e 2010. Procuraremos retirar liçôes que evitem uma crise identica no sistema financeiro angolano.

A secçâo 2 apresenta a revisäo de literatura onde abordamos estudos realizados em análises de eficiencia com o DEA, em bancos de diferentes países, incluindo as causas da crise do subprime de 2008, consequências, melhorias e liçôes da crise de 2008; A secçâo 3 apresenta o contributo do estudo feito sobre nove bancos angolanos, o resultado de sua eficiência utilizando o DEA.

[...]


[1]Moeda nacional em Angola

[2]Deloitte (2009)

[3]Masciandaro (2004:2)

[4]Kucerova (2010:1)

[5]Mads et. Al. (2011:21) - explicam que os conceitos de supervisao prudencial micro e macro podem ser explicados como por exemplo a supervisao com vista a salvaguardar a estabilidade sistemática, para a macro; e a supervisao (individual) do banco regulador como por exemplo bancos centrais nacionais, NCBs, ou NCBs como parte do ESBC.

[6]Financial liberalization in Africa and Asia . ( 1997:7; 1)

[7]Bank for International Settlements (2009)

[8]Banco Nacional de Angola (2011)

[9]Banco Nacional de Angola (2011:10)

[10]Lasher (2011) - ROA: mede como a empresa traduz os seus ativos em lucros. ROE: mede como a empresa traduz o investimento dos acionistas em lucros. ROA = Net margin X Asset Turnover e ROE = ROA X Financial Leverage.

uOOonnell e Westhuizen (2002)

[12]Tian (2009:1)

[13]Reiss (2009:336-348, p.342) - Fannie Mae/ Freddie Mac sao duas empresas duopolistas na área das hipotecas imobiliárias, que devido aos riscos que tomaram nos anos passados foram culpabilizadas pela crise financeira do subprime de 2008.

Excerpt out of 36 pages

Details

Title
Salybetsy Chipenhe Supervisão do Crédito à Habitação em Angola após a Crise de 2000
Subtitle
A DEA Analysis
Author
Year
2015
Pages
36
Catalog Number
V308033
ISBN (eBook)
9783668064874
ISBN (Book)
9783668064881
File size
570 KB
Language
Portugues
Tags
salybetsy, chipenhe, supervisão, crédito, habitação, angola, crise, analysis
Quote paper
Salybetsy Chipenhe (Author), 2015, Salybetsy Chipenhe Supervisão do Crédito à Habitação em Angola após a Crise de 2000, Munich, GRIN Verlag, https://www.grin.com/document/308033

Comments

  • No comments yet.
Read the ebook
Title: Salybetsy Chipenhe Supervisão do Crédito à Habitação em Angola após a Crise de 2000


Upload papers

Your term paper / thesis:

- Publication as eBook and book
- High royalties for the sales
- Completely free - with ISBN
- It only takes five minutes
- Every paper finds readers

Publish now - it's free